CONCURSO CULTURAL

REGULAMENTO DO CONCURSO CULTURAL – “O NOME DO TIME” – 2015

  • 1.                                 OBJETO E PRAZO:
  • 1.1.                           O Concurso Cultural “O Nome do Time” será promovido pela Agência Transmídia (PROZE Consultoria Criativa), inscrita no CNPJ sob o nº 22902083000147. e é voluntário e gratuito, de livre acesso às pessoas interessadas em participar e não está vinculado a nenhum tipo de aquisição de produtos ou serviços, nem qualquer modalidade de sorte ou álea, de acordo com o artigo 3º, inciso II, da Lei n.º 5.768/71, e com o artigo 30 do Decreto­Lei n.º 70.951/72.
  • 1.2.             O Concurso será realizado em todo o Brasil, no período compreendido entre as 08h00min do dia 27 de agosto de 2015 e as 08h00min do dia 14 de dezembro de 2015, e consistirá na premiação do melhor sugestão para o nome do grupo de heróis apresentados no Audiodrama “Khaoz Crescente” da Agência Transmídia contido nesse tópico conforme as regras abaixo.

 

  • 2.                                 DAS CONDIÇÕES PARA PARTICIPAÇÃO:
  • 2.1.                   A presente promoção é aberta ao público em geral, podendo participar as pessoas Físicas, residentes em todo o território nacional, desde que maiores e capazes, nos termos da legislação civil em vigor, respeitados os termos e condições estabelecidas neste regulamento.
  • 2.2.                           É vedada a participação de funcionários, bem como de seus familiares, da Agência Transmídia, de empresas relacionadas, ou quaisquer pessoas diretamente envolvidas com esta promoção.
  • 2.3.                           A participação no presente Concurso é voluntária, gratuita e implica na aceitação total e irrestrita dos termos e condições do presente Regulamento.
  • 2.4.                           Ler e aceitar este Regulamento, por tal ato submetendo-se de forma irretratável e irrevogável a todos os respectivos termos e condições.

 

  • 3.                                 COMO PARTICIPAR:
  • 3.1.                           Entre os dias 27/08/2015 à 14/12/2015, os interessados em participar do presente concurso deverão enviar nomes para o grupo de heróis do Audiodrama “Khaoz Crescente” disponível no site da organizadora do presente concurso. As sugestões de nome deverão ser feitas exclusivamente na seção de comentários da publicação, e deverão constar do nome completo e do e-mail do candidato.
  • 3.2.                           Qualquer cadastro feito fora do período disposto no item 3.1, e fora do espaço acima descrito, estará desclassificado e não participará do presente Concurso.
  • 3.3.                           A Agência Transmídia reserva­-se o direito de desclassificar e excluir os participantes cuja conduta demonstre estar manipulando dolosamente a operação do Concurso, bem como os participantes que tentarem fraudar ou burlar as regras estabelecidas neste Regulamento.
  • 3.4.                           Os participantes poderão participar com mais de uma inscrição, porém, cada uma deverá ser feita em registro separado.
  • 3.5.                           Na hipótese de recebimento, pela organizadora, de dois ou nomes iguais, apenas será considerado, para os efeitos de participação do Concurso, o que primeiro for recebido, sendo os demais desconsiderados para efeitos de premiação.
  • 3.6.                           Não será permitida em qualquer hipótese, sendo imediatamente desclassificada, a submissão de nomes que contiver: (i) uso de quaisquer expressões ou sinais contrárias à moral e aos bons costumes; (ii) termos que ofendam a honra ou imagem de pessoas, produtos, empresas ou natureza, meio ambiente, espaços físicos e afins; (iii) sinais ou palavras que ofendam a liberdade de consciência, religião, sexo, ideia ou sentimentos das pessoas ou associações (iv) incentivo a maus costumes, violência ou drogas; (v) apologia a símbolos desportivos reconhecidos; (vi) apontamento preconceituoso, constrangedor, pornográfico ou semelhante.
  • 3.7.                           A Organizadora se reserva o direito de desclassificar as inscrições que não preencham os requisitos previstos nos itens anteriores ou em qualquer outra disposição deste Regulamento, independentemente de qualquer comunicação prévia.
  • 3.8.                           Serão escolhidos os nomes mais criativos e adequados ao tema de NOME MAIS DEMOCRÁTICO, dentre todos as inscrições que atenderem integralmente ao disposto no presente Regulamento, por uma Comissão Julgadora composta por 3 (três) funcionários da Agência Transmídia, cuja decisão é soberana e irrecorrível, sendo utilizados na decisão critérios de criatividade, originalidade e vinculação ao tema proposto.
  • 3.9.                           Não caberá qualquer reclamação acerca da decisão da Comissão Julgadora, em hipótese alguma.
  • 3.10.                             Os nomes livremente apresentados à Organizadora do Presente Concurso Cultural serão propriedade intelectual do candidato, entretanto, fica desde já expressamente livre e pactuado que todos os direitos autorais patrimoniais serão transferidos, de forma gratuita, irretratável e irrevogável à Agência Transmídia, que, por sua vez, indicará a autoria ao Candidato vencedor em todas as formas de mídia ou modo em que sejam empregados, que poderá ser, dentre outras formas, utilizar, fruir, dispor, reproduzir, distribuir, explorar economicamente ou ceder a terceiros, livre e ilimitadamente, no território nacional ou fora dele e em qualquer mídia ou modo, existente ou que venha a ser criado, independentemente de outro ajuste com o AUTOR DO NOME,  e sem que este tenha direito a qualquer remuneração ou indenização.
  • .
  • 3.11.                       Os participantes do Concurso, incluindo os vencedores, assumem total e exclusiva responsabilidade a respeito de todas e quaisquer reivindicações de terceiros no tocante às respostas submetidas ao Concurso. Todos os participantes declaram que os conteúdos enviados são originais. Em caso de plágio, a Agência Transmídia não responderá por quaisquer prejuízos sofridos por terceiros, mas desclassificará do Concurso o participante responsável pela pratica ilícita.
  • DO PRÊMIO
  • 3.12.                       O vencedor receberá como prêmio versão impressa do roteiro do Audiodrama “Khaoz Crescente”, contendo artes exclusivas ilustrando tanto os momentos da história quanto também o processo criativo da identidade visual dos personagens ao longo dos anos. Além disso, poderá participar de vindouros audiodramas com um personagem exclusivo de aparição esporádica.

 

  • 4.                                 DA SELEÇÃO DO VENCEDOR
  • 4.1.                           A seleção e escolha do melhor nome será feita por uma banca de  3 (três) colaboradores da Agência Transmídia em até 07 dias após o prazo para inscrições, e a decisão soberana e irrecorrível será então anunciada por meio de publicações no site da Agência e em seus perfis de redes sociais.

 

  • 5.                                 DA ENTREGA DA PREMIAÇÃO
  • 5.1.                           O vencedor do concurso será contatado pelo e-mail cadastrado na seção de comentários e terá até 30 (trinta) dias para responder e informar o endereço para envio do prêmio descrito no item 4.1. Após esse prazo a Agência Transmídia se reserva o direito de reter o prêmio e fazer um sorteio entre todos os concorrentes, inexistindo para o contemplado, nessa hipótese, qualquer direito a ressarcimento ou indenização.
  • 5.2.                           O prêmio é livre e desembaraçado de quaisquer ônus para o contemplado.
  • 5.3.                           O prêmio não poderá ser trocado por outros, muito menos convertido em dinheiro, consoante a previsão do parágrafo 3º do artigo 1º da Lei n.º 5.768/71.

 

  • 6.                                 DISPOSIÇÕES FINAIS
  • 6.1.                           Em momento algum poderá a Realizadora ser responsabilizada por inscrições perdidas, atrasadas, enviadas erroneamente, incompletas, incorretas, inválidas ou imprecisas.
  • 6.2.                           A Agência Transmídia não será responsável por problemas, falhas ou funcionamento técnico, de qualquer tipo, em redes de computadores, servidores ou provedores, equipamentos de computadores, hardware ou software, ou erro, interrupção, defeito, atraso ou falha em operações ou transmissões para o correto processamento de inscrições, incluindo, mas não se limitando, a transmissão imprecisa de inscrições ou falha da Realizadora em recebê-las, em razão de problemas técnicos,  congestionamento na internet ou no site ligado ao Concurso, vírus, falha de programação (bugs) ou violação por terceiros (hackers).

 

ÁUDIO DRAMA “SENTINELAS” – 3ª TEMPORADA: METAMORFOSE AMBULANTE – EPISÓDIO 11, CAPÍTULO 23 – PARTE 1

SINOPSE DO CAPÍTULO

Pindamonhangaba em perigo! Uma dupla sertaneja mortal contra a ciência! Um robô gigante versus quatro heróis! Um quarteto mutante e um grande desastre! Toda mudança vale a pena! Com grandes poderes vêm grandes responsabilidades!

DESCRIÇÃO DA VITRINE AO PÚBLICO DEFICIENTE VISUAL

Banner retangular deitado com conteúdo totalmente em preto e branco sólido. À esquerda sob fundo branco, busto de um homem forte, de ombros largos. Usa roupas pretas com um capuz com uma faixa branca que cobre seu rosto até a altura do nariz. Seus olhos são brancos, seu queixo é largo e seu sorriso é extenso. Na orelha, um detalhe similar a uma pequena asa branca. À extrema direita, sob fundo branco, busto de um homem magro, de cavanhaque preto, olhos pretos grandes, e cabelos compridos estilo “mullets”. Usa um chapelão preto de caubói , camisa xadrez e colete preto. Ao centro, cena de ação acontecendo dentro de um semicírculo branco sob fundo preto. Lá, temos seis personagens  em perspectiva, vistos de cima para baixo fitando um tubo de ensaio branco suspenso ao centro, com um líquido preto saindo de dentro dele. Da esquerda para a direita, de cima para baixo: silhueta de homem com pernas afastadas e braços abertos com energia luminosa cintilando da palma de suas mãos. Segue silhueta de homem saltando com a mão direita estendida na direção do tubo de ensaio. Veste chapéu preto de caubói, colete preto, camisa branca com mangas puxadas à altura dos cotovelos e calças pretas. Na mão esquerda, segura uma arma branca comprida; Segue silhueta de homem forte alçando vôo, com a mão esquerda erguida com punho fechado. Sua capa preta flamula para a esquerda e no seu peito há um enorme símbolo branco em forma de ave com asas abertas; segue silhueta de homem usando chapéu preto de caubói e pilotando um tipo de robô em forma de trator. O robô tem carenagem branca, com detalhes pretos sobre o capout, Cano de escapamento preto vertical e seu braço mecânico direito está erguido com a mão preta com quatro dedos abertas na direção do tubo de ensaio; segue silhueta de homem de cabelos curtos e espetados com o braço esquerdo erguido na direção do tubo de ensaio. Seus olhos são grandes e brancos, assim como símbolo em seu peito, na forma de seta indicando para cima; o último personagem é representado através de uma silhueta feminina brotando do chão, sendo possível ver apenas do peito para cima, e suas duas mãos. Ela está surgindo dentre as pernas do personagem anterior e olha na direção do tubo de ensaio. Usa capote preto com uma máscara branca de olhos grandes. Na parte superior esquerda do banner, em letras brancas, “Episódio 11”; ao centro, sobre o tubo de ensaio e em letras pretas, “3ª Temporada”; dentro do tubo de ensaio e em letras brancas, “Sentinelas”; No canto superior direito e em letras brancas, “Capítulo 23”; No canto inferior esquerdo e em letras pretas, “Parte 1”; Ao centro e em letras pretas, “A Duras Penas”; e no canto inferior direito, o selo preto da Agência TransMídia – que é um carimbo circular com as letras “T” e “M” maiúsculas ao centro.

“SENTINELAS” é uma comédia de ação em forma de áudio drama que satiriza estereótipos de super-heróis num cenário totalmente brasileiro. O nome foi escolhido pelo ouvinte Alexandre Santos Costa ao fim da primeira temporada – “Khaoz Crescente” – graças ao concurso cultural “O Nome do Time”.

A história foi escrita em 2005 e passou por diversas revisões até a presente versão em áudio. O público-alvo principal deste áudio drama é o público deficiente visual, que não possui uma representatividade expressiva no cenário de entretenimento impresso, sendo a eles negligenciadas áudio descrições de histórias em quadrinhos. O autor de “Sentinelas”Vitor Hugo Mota – identificou nesta fraca demanda a oportunidade de contemplar seus amigos deficientes visuais e, ao mesmo tempo, incentivar o uso da mídia podcast para outros fins além do papo trivial e informal de amenidades. O texto foi totalmente adaptado para ficar o mais descritível possível e dar a oportunidade de imersão para TODOS os públicos audíveis. E para tornar ainda mais efetivo, os efeitos de fundo utilizados ilustram sonoramente as ações efetuadas pelos personagens e o cenário ao redor. Neste trajeto, o público infantil foi uma inesperada surpresa, sendo escutado por jovens entre 08 e 13 anos.

Por se tratar de uma história satírica, recheada de situações absurdas e nonsense, “Sentinelas” se tornou uma história sem preconceitos, pois não trata uma cidade ou indivíduos melhor do que qualquer outro semelhante. Toda a narrativa enaltece e também faz piada com diversas cidades e estereótipos por onde passa.

CRÉDITOS DE PARTICIPAÇÃO

  • Roteiro, Direção, Narração e Produção Executiva: Vitor Hugo Mota
  • Locução: Leora Heller
  • Consultoria de áudiodescrição: Alexandre Santos Costa & Ana Gouvêa
  • Direção de Vozerio: Cristian Melo

 

ELENCO DESTE EPISÓDIO POR ORDEM DE APARIÇÃO

– Alexandre Santos Costa é o Cientista 1

– Jadson Moura é Capial Kid

Marlon Brandão é o Cientista 2

– Radoc Lobo é o Cientista 3

– Claudio Assad é Agro Boy

Mateus Mantoan é Tori-Jin

Francisco Seixas é Capitão Falcão

– Eurico Junqueira é Emissário

Kell Bonassoli é Pacífica

– Ivo Matheus é Doutor Jarbas

– Danillo Pereira é o Motorista

– Alcides Costa é o Carona

– Gabriel Lima, Rafaela Campos, William de Oliveira, Giovani Martins, Letiane Duarte, Liipi Volpi e Cristian Melo são o Vozerio

IMAGEM DOS HERÓIS DO EPISÓDIO

(COM DESCRIÇÃO AO PÚBLICO DEFICIENTE VISUAL)

mural-4-herois
Imagem com o desenho de quatro personagens e créditos de seus talentos vocais. À esquerda, Tori-Jin é um homem atlético, branco, de cabelos curtos e eriçados na cor castanha. Seu queixo é acentuado, seu sorriso é largo e seu nariz é fino. Usa uma longa faixa azul escura diante dos olhos brancos, uma camisa cinza por baixo de um kimono azul claro, presos na cintura por uma faixa similar a dos olhos. Nos antebraços e canelas usa bandagens brancas amarradas bastante justas. Usa luvas azuis escuras acolchoadas de dedos cortados e nos pés calça sapatilhas na mesma cor. O personagem está planando, com os braços esticado em formato de cruz e com as mãos abertas emanando energia luminosa dourada que envolve todo o corpo do herói. Sua perna esquerda está esticada para baixo e a direita está dobrada na altura da cintura. Abaixo do personagem, foto de Mateus Mantoan, creditado como a voz de Tori-Jin; À direita, Emissário é um homem magro, branco e de cabelos curtos e franja eriçada, de fios prateados. Usa uma máscara simples – em forma de número oito deitado – sobre os olhos brancos. Veste moleton azul escuro de mangas cinzas, com o símbolo luminoso azul claro do personagem – uma seta apontando para cima com uma letra “E” maiúscula de cada lado da seta – como asas estilizadas. Usa luvas de dedos cortados azul, calças jeans e tênis azuis de solado cinza. O personagem está de costas, mas virando seu tronco para trás, com os braços abertos lateralmente na altura dos ombros e de punhos fechados. Suas pernas estão afastadas – estando a direita dobrada e a esquerda esticada. Acima, imagem de Eurico Junqueira creditado como a voz de Emissário; à direita, Pacífica é uma mulher esbelta de cabelos castanhos – visto pela franja que cobre parte de seu rosto protegido por uma máscara prateada de olhos grandes de vidro. Usa um capuz branco com bainha cinza, um colarinho de padre no pescoço e o capuz emenda numa pequena bata que cobre seus ombros até a altura do busto. Por baixo da bata, veste um casaco cinza com uma grande cruz branca, que começa no pescoço e termina na cintura. A barra da manga é branca e grossa. Veste luvas inteiriças cinzas. Posicionada na cintura, à esquerda da personagem, uma pochete cinza com o símbolo metálico de uma pomba estilizada, de asas abertas. Veste um macacão de jardinagem branco, com a aba peitoral para baixo, na região da bacia, e com as alças afiveladas, mas não nos ombros, estão soltas. Usa calçados brancos de solado cinza. Pacífica está correndo da direita para a esquerda, com a perna esquerda esticada para frente, a direita dobrada para trás, Braço direito esticado para frente, com o punho fechado, enquanto o braço esquerdo está dobrado para trás, com punho também fechado. Acima, foto de Kell Bonassoli creditada como a voz de Pacífica; e o último personagem, à direita, é Capitão Falcão: um homem musculoso, de pele branca, queixo volumoso e sorriso largo. Veste uma máscara amarela com uma faixa vertical azul partindo do nariz em direção ao topo da cabeça. Os olhos são brancos e uma pequena asa dourada parte de cada uma das orelhas. Esta máscara emenda numa enorme capa amarela que tem a parte da frente presa no símbolo peitoral do herói, que é uma grande ave dourada estilizada, de asas abertas cuja envergadura vai de um ombro ao outro do personagem. Este mesmo símbolo se repete em proporções menores na fivela da sunga e nas bainhas das botas. Por baixo da capa e da sunga amarelas, ele veste um collant azulado, além de usar luvas e botas amarelas. O personagem se encontra em postura ereta, flutuando e encarando o espectador, com a cabeça levemente inclinada para a esquerda. Seus braços estão junto ao corpo, com os cotovelos dobrados na altura do abdômen e de punhos fechados. A perna esquerda está esticada para baixo enquanto a direita está suavemente dobrada e projetada para frente. Abaixo, foto de Francisco Seixas creditado como a voz de Capitão Falcão.
mural-capial-kid-e-agro-boy
Imagem com o desenho de dois personagens e créditos de seus talentos vocais. A dupla de personagens é composta por dois indivíduos magros um ao lado do outro, com o indivíduo da esquerda apoiando seu braço esquerdo no ombro direito do homem ao lado, que está de braços cruzados. O homem da esquerda tem a pele parda, olhos cor de mel, nariz batatudo, barba modelada marrom e mullets na mesma cor da barba. O personagem da esquerda tem a pele branca, nariz curto, olhos grandes e verdes, cavanhaque longo e pontudo, de bigodes eriçados, além de ter cabelos loiros desgrenhados até o fim do pescoço. Ambos vestem chapéu de caubói de abas longas, camisas xadrez com as mangas dobradas até a altura dos cotovelos, coletes sertanejos, cintos de fivelas grandes, ovaladas e douradas prendendo calças jeans claras e apertadas, terminando em um par de botas de caubói de bico fino. O que diferencia os trajes dos personagens é que o da esquerda tem chapéu, colete, cinto e botas na cor marrom, enquanto o da direita tem as mesmas peças na cor preta. E a base do xadrez da camisa do homem à esquerda é verde, enquanto o da direita é vermelha. Do lado esquerdo, foto de Claudio Assad creditado como a voz de Agro Boy, e à direita, foto de Jadson Moura creditado como a voz de Capial Kid.

TRILHA SONORA DO EPISÓDIO

  1. In Motion, de Trent Reznor & Atticus Ross
  2. Hell Above the Water, de Curve
  3. I Gotta Feeling, de Black Eyed Peas
  4. Seoul Searching, de Brian Tyler & Danny Elfman
  5. The Countdown, de Henry Jackman
  6. War Machine, de Brian Tyler
  7. Flying Home, de Henry Jackman & John Murphy
  8. Peak Acidity, de Blanket Barricade WK Music Productions
  9. Farmhouse, de Brian Tyler & Danny Elfman
  10. Sometimes You Gotta Run, de Steven Jablonsky
  11. Busted, de Tyler Bates
  12. This is my Choice, de Alan Silvestri
 “Sentinelas” são propriedade intelectual da ProZe Consultoria Criativa. A produção deste áudiodrama não tem fins lucrativos e contou com voluntariado de todas as vozes envolvidas. Todos os direitos reservados a Vitor Hugo Mota.
  • Claus Tessmann

    Eu fiquei impressionado e até cheguei a estranhar a personalidade da Pacifica no inicio do episódio. Ela se tornou mais ativa, se impondo. Não imaginava a personagem perdendo o controle e se exaltando assim, pegando o Capitão Falcão pelo pescoço. Claro que o Capitão é um personagem complicado e todo mundo já está perdendo a paciência com ele.

    Estranhei a voz do Emissario. Não reconheci ela de inicio, mas não sei dizer o por que. Notei que o audio dele estava muito diferente da dos outros, o que quebrou um pouco a imersão, mas não estragou o episódio.

    Achei muito legal o professor Jarbas (dublagem, interpretação, papel na trama). Espero continuar vendo personagens secundários tão bem trabalhados assim no resto dos episódios de Sentinelas.

    Gostei dos vilões da semana. Gostei dos pinguins, apesar deles não fazerem sentido (Os matutos levaram eles, não? Por quê? Por que eles não participaram da luta? Por que eles salvaram os caras dos escombros? Tá, adorei a parte que eles dirigem o caminhão. E já que já enchi esse parenteses de por ques, mais um: por que só os heróis virarão animais?). Achei muito galhofa os heróis transformados em animais, mas achei legal que cada um virou algo que tem a ver com eles e não foi uma mudança homogênea ou aleatória.

    E a parte que eu mais ri foi a quebra da quarta parede quando Tori-Jin se irrita com o narrador. Muito bom. Ah, quase ia me esquecendo: mudaram a arte da Pacifica e do Emissario? O uniforme deles parece diferente.

    • Primeiramente, obrigado por vir a nós com seus comentários mais uma vez. Sempre muito bom interagir com o público. Gostaria que mais gente o fizesse.

      Sobre a postura da Pacífica: o quanto será que os eventos de “Calada da Noite” não revelaram sobre os sentimentos da nossa heroína em relação à liderança? E mais: como isso impactou em seus dilemas morais e até mesmo maquiagem ideológica? Ela tem a doçura dela mesma, mas começou a mostrar o calculismo do Scan e alguma dureza do Dr. Kranio: suas referências em termos de comando. E todos concordam contigo: por mais útil que o Capitão Falcão possa ser, a postura dele é o ponto alto da relação interpessoal da equipe. A importância dele está além do bem que causa, mas das questões que levanta.

      Quanto à voz do Emissário: tentei ao máximo melhorar a voz dele, apliquei filtros e tratamentos diferenciados e acredite em mim quando digo que fiz o melhor possível para tornar a participação dele viável. Espero que na próxima temporada o sacrifício que fiz para que o Eurico Junqueira tenha maior qualidade técnica de captação renda bons frutos.

      Em relação aos personagens secundários: o Ivo Matheus é um talento advindo de uma cultura J-Pop muito forte, então ele sabe bem como compôr personagens de personalidade forte com rápida quebra de expectativa. E quem dera as palestras que assisto por aí fossem tão despertas quanto a dele. Faremos o possível para continuar atendendo o interesse de personagens secundários satisfatórios. Os holofotes não iluminam apenas os protagonistas.

      Eu não sei o quanto responder as suas perguntas te roubaria a experiência de confabular e teorizar sobre os eventos. Tudo isso que você me perguntou tem respostas que, na hora em que o roteiro foi escrito, não vi a necessidade de explanar tim-tim-por-tim-tim. Mas se assim preferir posso explicar ao fim do comentário, após uma série de asteriscos. Sobre a “galhofa” dos heróis virarem aves, foi como te disse: temos um público infantil bastante presente no consumo do material. Então trazer elementos divertidos da esfera do entretenimento deles é legal e dá um alívio de tensão em algumas narrativas. Mas nem por isso comprometeremos a qualidade da história narrada.

      O Tori-Jin tem muito do Deadpool: um personagem que, por conta de sua personalidade “Makai” acabou desenvolvendo uma certa esquizofrenia branda. Ele conversa com alguém que não está ali com muita frequência. Eu imagino que uma forma de lidar com esta quebra de quarta parede seja ele reagindo ao Tori Makai, não ao narrador, por exemplo. O Makai está em uma dimensão que, de repente, sabe que tudo é uma história narrada e faz zombaria com o Tori-Jin. Desenvolva sua própria teoria e seja feliz com ela.

      A respeito das artes de Emissário e Pacíica: não, os uniformes ainda são os mesmos. O posicionamento da Pacífica está diferente, sim, em relação a todas as outras duas representações gráficas dela, mas o traje permanece imutável. O Emissário tem uma leve particularidade: perceba que as letras “E” posicionadas ao lado da seta peitoral estão esticando suas pontas aos poucos, como feixes luminosos tipo TRON. Isso tudo tem motivo e que se explicarão ao longo das temporadas.

      Obrigado pelo comentário e, por favor, entre em contato conosco via e-mail. Tenho algo a lhe sugerir. contato@agenciatransmidia.com.br

      *************************

      • Os MATUTOS levaram os pinguins para que eles punissem os responsáveis pelas atrocidades que cometeram a eles e outros animais no Grupo Gedeão.
      • Os pinguins não participaram da luta porque não estavam intelectualmente avançados para discernir o que estava acontecendo. As experiências que os deixaram daquele jeito teve efeitos colaterais perturbadores em sua fisiologia.
      • Eles salvaram os caras dos escombros porque, após os eventos da “panela de pressão”, eles sentiram uma conexão partindo de um deles (Agro Boy) e como Capial Kid sempre esteve junto a ele e ambos se parecem, por associação os resgataram aguardando ordens daquelas suas referências humanas de liderança;
      • Os heróis viraram animais porque foram os únicos que não estavam com proteção dentro da cúpula do Emissário. Mesmo quebrado, o Tratobô protegeu Agro Boy de um impacto mais direto da explosão. O Capial Kid estava fora do domo de energia. Os pinguins não viraram aves porque eles já são aves (sei que é bem tonto eu dizer isso), mas também não ficaram ilesos, como percebemos.