AGÊNCIA TRANSMÍDIA # 54 – DRAGÃO DO MAR, O LONGA METRAGEM

Francisco José do Nascimento: negro, cearense de Canoa Quebrada, filho de Matilde, pai sumido no Amazonas, avô engolido pelo mar, menino de recados no Tubarão, letrado aos 20, jangadeiro, nomeado prático da Capitania dos Portos aos 35, abolicionista feroz, um herói do Panteão nacional. Você já ouviu falar deste ícone brasileiro? Pois hoje você vai acompanhar a saga de Chico da Matilde e como ele recebeu a alcunha de DRAGÃO DO MAR! Hasteie as bandeiras e icem as velas, porque essa história é uma adaptação livre dos mesmos consultores de X-Men 2099 e Astronauta: Magnetar. Um oferecimento da Agência TransMídia!

Equipe:

Vitor Hugo Mota – Deptº de Criação

Rodrigo Silva – Deptº de Fontes e Pesquisa

Francisco do Couto – Deptº de Fontes e Pesquisa

Peça:

DRAGÃO DO MAR

Veículo de Mídia:

Longa Metragem (Live Action)

PÔSTER ALTERNATIVO

SETLIST

  1. Treasure – Geoff Zanelli
  2. Parkouring Pirate – Bausic Productions
  3. Old Pirate – Mattia Turzo
  4. Viking Pirates of Middle Earth – Titus Ong
  5. El Matador Del Mar – Geoff Zanelli
  6. Pirates – Tobias Alexander Ratka
  7. Black Sails – Ezra Raymond
  8. Young Pirate – Mattia Turzo
  9. Silver Water Pirates – Christian Perucchi
  10. Barbary Jack – Daniel Brunette
  11. I’ve Come With The Butcher’s Bill – Geoff Zanelli
  12. Land of The Brave – Antti Martikainen
  13. Smoke and Chains – Ryan Scully
  14. Coming With The Sun – Patryk Scelina
  15. Spoils of Plunder – Tim Besamusca
  16. Up is Down – Hans Zimmer
  17. He is a Pirate – Hans Zimmer
  18. Drink Up Me Hearties – Hans Zimmer
A Agência TransMidia é um exercício criativo. Trata-se de uma simulação de ambiente de trabalho onde nossos participantes são podcasters interpretando suas versões de cliente/consultores de mídia. Não há contato direto com nenhuma das empresas citadas. Divirta-se.
  • Rodrigo Mokepon

    Nossa, eu não esperava que seria algo tão épico.
    Vai virar NPC no meu blog.

    • trnsmd_admin

      Existe uma máxima no ensino brasileiro que não entendemos, que é a necessidade de não tornar grandiosos os nossos personagens relevantes e como suas missões sociais podem ser edificantes e empolgantes. Chico da Matilde é um de vários outros que merecem um holofote negligenciado a eles.