AGÊNCIA TRANSMÍDIA # 43 – MITOS E MONSTROS: FOLCLORANGERS, O SERIADO

Cinco elementos. Cinco regiões. Cinco jovens. Cinco cores. Cinco LENDAS! Carregando em suas veias uma herança por muitos esquecida, eles foram escolhidos para zelar pela integridade mitológica do Brasil, lutando contra a corrupção da sabedoria popular e salvando os MITOS da iminente transformação em MONSTROS. Dos mesmos criadores de “Saci, O Mockumentário”, confira na Agência TransMídia o nascimento dos Paladinos Tupiniquins e pilote um zord nascido das entranhas do Brasil!

 

Equipe:

Vitor Hugo Mota – Deptº de Criação

Andriolli Costa – Deptº de Fontes e Pesquisa

Leonardo Tremeschin – Consultor Freelancer de Fontes e Pesquisa

Peça:

MITOS E MONSTROS: FOLCLORANGERS

Veículo de Mídia:

Seriado (Live Action/Animação: a combinar)

PÔSTER ALTERNATIVO

SETLIST:

  1. The Kylin Escape – Tyler Bates
  2. The Zords – Brian Tyler
  3. Detecting Voltron – Brad Breeck
  4. Astral Doom – Michael Giacchino
  5. Destiny – Brian Tyler
  6. Astral Worlds Worst Killer – Michael Giacchino
  7. The Collector – Tyler Bates
  8. Robeast Arrives – Brad Breecks
  9. United – Brian Tyler
  10. Goldar – Brian Tyler
  11. Run Him Over – Steven Jablonsky
  12. For The Reunion – Nobuo Uematsu
  13. Fogwell’s Gym – John Paesano
  14. One Simple Idea – Hans Zimmer
  15. Survive – Kyle Dixon & Michael Stein
  16. Supposed To be My Lion – Brad Breeck
  17. The Morphing Grid – Brian Tyler
  18. Together We Stand – Brian Tyler
  19. Go Go Power Rangers – Haim Saban & Shuki Levy
  20. Voltron Legendary Defender – Brad Breeck
  21. Let’s Get That Cannon – Brad Breeck
  22. Voltron Transformation – Brad Breeck
A Agência TransMidia é um exercício criativo. Trata-se de uma simulação de ambiente de trabalho onde nossos participantes são podcasters interpretando suas versões de cliente/consultores de mídia. Não há contato direto com nenhuma das empresas citadas. “FOLCLORANGERS” é uma criação de Vitor Hugo Mota, Andriolli Costa & Leonardo Tremeschin, baseada no briefing de Douglas da Silva Gomes . Todos os direitos reservados. Divirta-se.
  • Rodrigo Mokepon

    Gostei muito do projeto. Gostaria de fazer umas observações:
    -No fim o “Zordam” não ficou realmente escolhido. Só foi indicado a Iara. Acho que seria interessante que o papel de mentor fosse da própria cobra grande.Ou melhor, cobra Honorato e Maria Caninana. Em algumas lendas eles são serpentes irmãs de grande poder, mas Honorato é bondoso e Maria é cruel.
    -Já que tem essa questão de bairrismo folclórico, poderia ter um episódio em que os Folclorengers ajudam Youkais que vivem no bairro da liberdade que estão sendo perseguidos por um caçador sobrenatural que os vê como invasores.
    -O Zord. Aqui é só meu exercício de imaginação. Quando ele fosse chamado, poderia a primeira cena mostrar uma serpente gigantesca subindo ao céu, para uma nuvem de tempestade. depois corta para cena de batalha, onde começa a chover e trovejar, e no meio da chuva e relâmpagos o Zord surge.

    • trnsmd_admin

      Olá, Rodrigo. Ficamos felizes que este projeto tenha agradado tanta gente. Ainda mais que ele nasceu sem perspectiva nenhuma e foi sendo acreditado verdadeiramente pelos seus consultores conforme crescia. Quanto às suas dúvidas:

      – Sobre o “Zordon” da vez ser a Iara ou a Cobra Grande. A figura da Iara é importante por ser a “rainha” folclórica do Brasil, tem um quê de mãezona. E como a Cobra-Grande são nossos rios e a Iara é rainha das águas, é comos e a própria Cobra-Grande fosse o sangue da própria Iara fornecido para que não apenas os Zords sejam reunidos em seus conceitos elementais, mas também o sangue da Iara fornecido para que os Folclorangers tenham seus poderes e habilidades. A mãe que dá o sangue pelos seus filhos e dá o sangue para dar os seus “brinquedos”. A Cobra-Grande seria uma enorme alusão ao TRABALHO da Iara e cabe aos filhos honrar a mãe. Mas as sugestões sobre os irmãos Serpente Honorato e Maria Caninana (que confesso, não conhecia) são muito interessantes até para apresentar numa segunda temporada um novo estágio de conflito, onde outros Rangers podem ser apresentados, saca? Afinal, Power Rangers se fundamenta na repaginação de conceitos, mas com os personagens antigos. O legal é que traria a discussão de “irmãos inimigos” novamente aos Folclorangers, haja visto os vilões da primeira temporada.

      – Gostei da questão do bairrismo folclórico levantado por você (tanto é que já meio que iniciamos esse papo no tópico anterior) e acredito que tem um quê de “Deuses Americanos” nessa discussão, pois os conceitos de FOLCLORE serão discutidos. Quem tem realmente respaldo de ser considerado folclore e o que é apropriação cultural? É a terra que dá força ao mito ou é a fé que existe sobre eles? Essas coisas são muito bacanas de se discutir porque adentra um terreno transcendental muito forte e de debate atual.

      – Nada impede que os “Zords” surjam dessa forma, assim como nada impede que cada um surja das entranhas da natureza como grandes golens elementais, de maneira imponente e sendo animados pelo espírito da Cobra-Grande. Várias “entradas triunfais” cativam o público sempre!

      Agradecemos o carinho e vendo seu comentário temos certeza que acertamos em cheio, mesmo mirando de maneira reticente.

      Forte abraço.

    • Olá, Rodrigo. Ficamos felizes que este projeto tenha agradado tanta
      gente. Ainda mais que ele nasceu sem perspectiva nenhuma e foi sendo
      acreditado verdadeiramente pelos seus consultores conforme crescia.
      Quanto às suas dúvidas:

      – Sobre o “Zordon” da vez ser a Iara ou a Cobra Grande. A figura da
      Iara é importante por ser a “rainha” folclórica do Brasil, tem um quê de
      mãezona. E como a Cobra-Grande são nossos rios e a Iara é rainha das
      águas, é comos e a própria Cobra-Grande fosse o sangue da própria Iara
      fornecido para que não apenas os Zords sejam reunidos em seus conceitos
      elementais, mas também o sangue da Iara fornecido para que os
      Folclorangers tenham seus poderes e habilidades. A mãe que dá o sangue
      pelos seus filhos e dá o sangue para dar os seus “brinquedos”. A
      Cobra-Grande seria uma enorme alusão ao TRABALHO da Iara e cabe aos
      filhos honrar a mãe. Mas as sugestões sobre os irmãos Serpente Honorato e
      Maria Caninana (que confesso, não conhecia) são muito interessantes até
      para apresentar numa segunda temporada um novo estágio de conflito,
      onde outros Rangers podem ser apresentados, saca? Afinal, Power Rangers
      se fundamenta na repaginação de conceitos, mas com os personagens
      antigos. O legal é que traria a discussão de “irmãos inimigos” novamente
      aos Folclorangers, haja visto os vilões da primeira temporada.

      – Gostei da questão do bairrismo folclórico levantado por você (tanto
      é que já meio que iniciamos esse papo no tópico anterior) e acredito
      que tem um quê de “Deuses Americanos” nessa discussão, pois os conceitos
      de FOLCLORE serão discutidos. Quem tem realmente respaldo de ser
      considerado folclore e o que é apropriação cultural? É a terra que dá
      força ao mito ou é a fé que existe sobre eles? Essas coisas são muito
      bacanas de se discutir porque adentra um terreno transcendental muito
      forte e de debate atual.

      – Nada impede que os “Zords” surjam dessa forma, assim como nada
      impede que cada um surja das entranhas da natureza como grandes golens
      elementais, de maneira imponente e sendo animados pelo espírito da
      Cobra-Grande. Várias “entradas triunfais” cativam o público sempre!

      Agradecemos o carinho e vendo seu comentário temos certeza que acertamos em cheio, mesmo mirando de maneira reticente.

      Forte abraço.

      • Rodrigo Mokepon

        Ok. me convenceu. Iara rainha, o resto é nadinha!